© 2017 Coluna Blues Rock

Brasil

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Mossoró has the blues!

13.05.2017

 

Jean Lone é presidente do Desert Blues Clube, grupo que organiza eventos de blues na cidade de Mossoró (RN), e em uma cidade marcada pela forte tradição forrozeira divulga o estilo. Aos poucos, com muita luta e contando apenas com a ajuda financeira dos sócios, a cidade consegue apresentações de importantes músicos da região. Batemos um papo interessante com Jean que revelou, entre outros pontos, a vontade de produzir um festival. 

 

Ugo Medeiros - O que é o Desert Blues Clube? Como nasceu a ideia?

 

Jean Lone – O Desert Blues Clube é um clube criado por amantes do blues em Mossoró-RN em novembro de 2014 a fim de organizar encontros e divulgar o blues na cidade e na região. Junto de dois grandes amigos, David Costa e Paulo Ricarte, na ausência de shows de blues com mais frequência na nossa cidade, começamos a convidar alguns outros amigos que simpatizavam com o estilo. Assim mais amigos foram comprando a ideia e, a partir daí, começamos a organizar encontros e reuniões em bares da cidade ou organizando feijoadas para arrecadar fundos já pensando em shows. Tudo na base do “faça você mesmo” conseguimos, através das feijoadas e venda de camisetas e acessórios do clube, organizar o primeiro show em abril de 2015 dando o ponta pé inicial como produtora. Isso tudo em Mossoró, cidade do interior do nordeste em que o Forró predomina e o apoio por parte de órgãos públicos ligados à cultura é nulo. Conseguimos, então, uma agenda regular de apresentações de blues.

 

UM - Quais as perspectivas futuras? Vocês pensam em um festival maior com bandas de outros estados fora do nordeste?

 

JL - Hoje estamos trabalhando nos contatos com possíveis patrocinadores e apoiadores para organizarmos o nosso primeiro festival. Hoje o clube é mantido com as mensalidades, sempre usadas nos custos dos shows que organizamos, e sendo um festival, mesmo que pequeno, ainda não temos condições de custear sozinhos. Por várias questões, como logística e custo, hoje é bem mais fácil nós trazermos artistas de estados vizinhos ou mais próximos, mas isso nunca foi uma regra e queremos muito trazer artistas de outras regiões do país, aumentando assim o intercâmbio. O Brasil tem artistas que não ficam nada atrás de artistas de fora do país, o blues não é mais somente americano, é mundial, é brasileiro, e nordestino também.

 

UM - Voce também toca. Onde você fica mais à vontade: gerenciando o clube ou com o instrumento?

 

JL – Hoje faço parte da jam que criamos dentro do clube que se chama Desert Blues Jam, temos tocado em alguns bares e eventos na cidade. Meu hobby predileto é tocar guitarra e o blues tem sido um fator muito forte nisso, seja tocando ou produzindo os eventos. Me sinto à vontade fazendo as duas coisas (rs), embora quando acontece de produzir e tocar no mesmo dia é bem exaustivo às vezes, mas no final me sinto muito realizado em ver o resultado.

 

UM - Fale um pouco do blues na sua vida. Como começou? Quais os artistas que você mais gosta?
 

JL - Como quase todo mundo no Brasil, virei fã de blues através do seu filho rock'n'roll. Aos treze anos o rock me deu uma identidade e carregarei isso para o resto da vida, tento ser o mais ativo possível na cena rock da minha cidade indo aos shows e apoiando as bandas. Em 2005, aos 18 anos, comecei a frequentar um barzinho no centro da cidade aonde acontecia uma pequena confraria liderada pelo proprietário Roberto Holanda, que era ávido por música (jazz, blues, soul, instrumental, etc.). Apesar dessa confraria ser bem restrita aos seus amigos, meio metido, fui chegando no recinto e ficando, e assim ficávamos conversando por horas sobre música e cinema. Até que um dia reconheci a voz do Eric Clapton na música que tocava mas eu não tinha conhecimento que ele era importante no blues, pois só conhecia as músicas mais famosas. Nesse mesmo dia o Roberto colocou o disco Riding With The King, com o BB King, e perguntou se eu conhecia blues. Respondi que apenas por nome. Foi quando ouvi a voz do BB King e a sua guitarra Lucille, ali mesmo soube que tinha me encontrado por completo, o blues mexeu comigo de uma forma inexplicável, como se já estivesse comigo e eu não soubesse. Hoje infelizmente o Roberto não está mais entre nós, partiu cedo demais. O bar La Plata assim como todos que frequentavam o local marcaram uma época bem legal na minha vida. Os artistas que mais me inspiram no blues são os clássicos, como Robert Johnson, Son House, Elmore James, Muddy Waters, BB King, Freddie King, Albert King, Buddy Guy, Howling Wolf, Eric Clapton, e Peter Green. Mas, sinceramente, não escondo a admiração pelo pessoal mais moderno como Rory Gallagher, Stevie Ray Vaughan, Robert Cray, Gary Moore, Joe Bonamassa, e Gary Clark Jr. Também Escuto bastante blues produzido no Brasil, dos precursores como Blues Etílicos, Celso Blues, André Christovam, Nuno Mindelis, Jefferson Gonçalves, aos mais atuais como, Artur Menezes, Adriano Grinemberg, Igor Prado, Leo Maier, e Filippe Dias. Eu também aprecio demais quase tudo que tem sido produzido aqui no Nordeste.

 

UM - Voce poderia apresentar algumas bandas de blues do nordeste (não necessariamente de Mossoró)?
 

JL - O Nordeste, de fato, é um dos polos mais ativos em termos de artistas e bandas de blues, embora não tão reconhecido ainda como a região Sul/Sudeste, não fica nada atrás em qualidade. O eixo Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco tem bastante gente envolvida, movimentando as casas como podem. O Ceará, por exemplo, há anos através da associação Casa Do Blues em Fortaleza tem produzido incansavelmente por lá sendo uma referência muito grande para nós aqui. Quase todos os artistas associados à casa já vieram tocar em Mossoró em parceria com o Desert Blues Clube, artistas como Felipe Cazaux, Allysson Dos Anjos, Blues Label, Claudio Oliveira, Marina Lima, e De Blues Em Quando. Também indico alguns artistas do Ceará: Anderson Camelo, Renegados, Gabriel Yang, o gaitista André Reis. Aqui no Rio Grande do Norte também temos o grande Gustavo Cocentino que, além do seu trabalho com a Blue Mountain, já tocou e produziu shows de grandes nomes do blues nacional e internacional na capital potiguar. No Piauí destaco o André De Sousa que, na minha humilde opinião, hoje é um dos maiores guitarristas de Blues do Brasil, assim como o Rodrigo Morcego de Recife com mais de 20 anos vivendo do blues e para o blues. Na Paraíba o blues é movimentado pelo pessoal da In The Mood Hard Blues, About The Blues, e a Encruzilhada Blues Band do guitarrista Emmanuel Duarte e sua turma. Na Bahia tem a galera da Distintivo Blue que tem feito um trabalho muito legal na internet com o  site Bluezinada, divulgando eventos e artistas no Nordeste.  A lista é bem maior com certeza, passaria horas falando.

 

UM - Olha, vocês estão fazendo um trabalho incrível. Você pode ficar assustado, mas aqui no Rio de Janeiro não temos uma casa para 100/300 pessoas dedicada ao blues. Mossoró está ganhando do Rio... 
 

JL - Particularmente acredito que o blues consegue ainda fazer com muita gente o que fez comigo na primeira vez que ouvi. E fará para sempre. Não há divulgação do blues pelos meios de comunicação tradicionais, em massa, assim fica difícil chamar e aumentar o público para shows. Para uma cidade com quase 300 mil habitantes na qual outros estilos musicais são bem mais predominantes, acredito que estamos indo no caminho certo. Claro que o trabalho é de formiguinha, ainda fomentando, mas a paixão pela música nos move e queremos de fato dar essa oportunidade para o público apreciar uma música tão rica e inspiradora como é o blues.

 

UM - Jean, conte sempre com a Coluna Blues Rock! Mesmo! Deixo esse espaço para seus comentários e recado finais...

 

JL – Venho acompanhando a Coluna Blues Rock há um tempo e acho a ideia muito legal, o Brasil precisa de mais veículos de comunicações sobre o blues. Diante da nossa luta e vontade de não deixar a música ser esquecida, sempre é muito gratificante ver um site como esse atuando. Parabéns, de verdade, e em nome de todo mundo que faz parte do Desert Blues Clube agradeço o espaço para falar sobre as nossa atividades por aqui, deixo abaixo os links das nossas redes sociais para quem quiser acompanhar nossas atividades. Muito obrigado pelo espaço!

 

You Tube: https://www.youtube.com/channel/UCNjmAl20lVyOX5H8SCAgQ5w

Facebook: www.facebook.com/desertbluesclubemossoro

Instagram: @desertbluesclube

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

anuncie aqui

Destaques:
Please reload

 procurar por TAGS: 
66185439_3317518094955530_69382078520623