Bate-papo com Fernando Vidal


O bom guitarrista é aquele que é reconhecido com poucas notas. Seguindo esta lógica, se o fraseado tiver um groove pesado e bem marcado, bem provável que o guitarrista em questão seja Fernando Vidal. Por isso mesmo o carioca é requisitado por diversos artistas quando anseiam por um som mais funkeado. O que poucos sabem é que todo swing veio através daquele guitarrista americano canhoto, que usava um penteado black power... um tal de... Qual o nome mesmo? Ah sim, Jimi Hendrix!

O fascínio pelo músico que simplesmente transcendeu o seu instrumento começou cedo, ainda aos sete anos. Desde então consumiu todo o material possível - discos oficiais, bootlegs, vídeos - para auxiliá-lo na formação dos seus conceitos musicais, claro, sempre com bastante gingado. "Nas minhas pesquisas e seguindo o meu método de guitarra base, posso afirmar que Hendrix foi o melhor "groove man" que já existiu!", argumentou Fernando.

Fernando Vidal, que já tocou nas bandas de Marina Lima, Fernanda Abreu, Luiz Melodia, Frejat e tantos outros nomes consagrados, mostrará todo o seu amor selvagem por Jimi Hendrix, justamente no dia internacional do rock! O músico liderará o Tributo a Jimi Hendrix no Blue Note Rio, dia 13 de julho (22:30h), e tocará clássicos como Foxy Lady e Fire. Uma excelente chance de conferir um estudioso que passou a vida dissecando cada riff e palhetada do mestre eterno. Viva Jimi Hendrix, viva o rock'n'roll !


Ugo Medeiros – Dia 13 de julho, dia internacional do rock, você estará no Tributo a Jimi Hendrix no Blue Note Rio. Primeiramente, como será o formato do show? Qual o repertório, um apanhado de toda a carreira dele ou focando em algum período?


Fernando Vidal - Na verdade faço essa homenagem ao grande ídolo da minha vida, é resultado de intensa pesquisa. Toco e canto músicas dos três discos, tipo Fire, Spanish castle magic, The wind cries Mary, Hear my train coming, Foxy lady e muitas outras. Também tocrei umas duas autorais do meu último disco, Studios.


UM – O Hendrix foi o responsável por você ter entrado na música? Como foi o primeiro contato com ele?


FV - Foi sim, eu tinha sete para oito anos, quando vi na TV a noticia da morte de um músico. Um negão canhoto, meio psicodélico (a TV era preto e branco), usando uma Gibson flying V e cantando. Fiquei completamente tomado por aquilo, a partir dali era o que eu queria para a minha vida. Tocava em uma raquete de tênis até ganhar minha guitarra Stratosonic aos treze anos!


UM – Qual o disco do Hendrix favorito? Por quê?


FV - Na verdade, são os três: Are You Experienced, Axis Bold As Love e o duplo Electric Ladyland! Não dá para escolher apenas um!


UM – Você é muito conhecido na cena carioca por ter uma guitarra bem funk. Apesar do Hendrix em Band of Gypsys ter bastante swing, acredito que você bebeu em outras fontes também, né?


FV - Nas minhas pesquisas e seguindo o meu método de guitarra base, posso afirmar que Hendrix foi o melhor "groove man" que já existiu! Claro que gosto muito de Hiram Bullock, Scott Henderson, Tower of Power, Herbie Hancock, Miles Davis, John Coltrane e vários outros brasileiros, tais como Banda Black Rio, Robson Jorge, Lincon Olivette, Gonzaguinha, etc. Enfim, muitos nomes, mas o maior de todos foi o Jimi Hendrix!


UM – Por falar em swing, você tocou com o Conexão Japeri lá no início da carreira do Ed Motta... E depois na carreira solo dele. Como foi?


FV - Sensacional, puro orgulho! O disco ao vivo é demais, assim como o Rock in Rio 2, que ocorreu no antigo e verdadeiro Maracanã!


UM – Você tocou com Marina Lima, Fernanda Abreu e Zélia Duncan. Você poderia falar um pouco da musicalidade de cada uma? O que mais te marcou em cada uma dessas experiências?


FV - Marina é amiga e irmã, me chamou em 1992 para produzir um disco espetacular de muito sucesso, O Chamado, e sempre falo com ela. Montei a primeira banda solo da Fernanda em 1990 com grandes amigos e me orgulho de estar com ela até hoje nesse convívio. Com a Zélia gravei em dois discos e temos uma música linda, Experimenta.


UM – O Luiz Melodia é um músico que sempre me despertou interesse, o cara era um gênio. Poderia falar do contato que teve com ele?


FV - Sim, ele era demais mesmo. Gravei no disco 14 Quilates e tenho orgulho de ter feito o arranjo junto com o grande baixista Jamil Joanes na faixa que virou clip (está no Youtube!), Sub anormal.


UM – Para encerrar, poderia definir cada disco do Hendrix em poucas palavras?


FV - Are You Experienced => Início de tudo: das incríveis composições, arranjos e letras fantásticas.

Axis Bold as Love => Incrível amadurecimento em pouquíssimo espaço de tempo e, putz!, sou suspeito, QUE VOZ!

Electric Ladyland => Disco duplo, jazz, blues, rock, fusion, lyrics, enfim perfeito!

Band of Gypsys => Black power! "Who Knows" o que significa a versão de Machine Gun? A canção me deixa cansado, não consigo escutá-la toda!





  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

anuncie aqui

Destaques:
 procurar por TAGS: