© 2017 Coluna Blues Rock

Brasil

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Rock'n'Beer: Wonderland Brewery

11.10.2019

   White Rabbit, canção do Jefferson Airplane, representa o auge da psicodelia sessentista e a tão desejada expansão da mente. Lisérgica e com claras referências ao universo de Alice no País das Maravilhas (Lewis Carroll), a música foi um marco no rock e no movimento contracultural. Quase cinquenta anos depois aquele enredo mágico, que inspira pessoas de todas as idades, retorna através da Wonderland Brewery.

   A cervejaria carioca, que também tem um pé nos EUA, é uma das grandes revelações da nova geração de cervejas especiais brasileiras. Suas receitas fogem da mesmice, e isso é confirmado pelo lema "Sede de Personalidade". Além de fórmulas incríveis, o conceito estético é simplesmente uma "viagem" que transcende o mundo careta (afinal, não era essa a mensagem em Alice?).

    Chad Lewis, um dos donos da Wonderland Brewery e responsável pela parte norte-americana no DNA da cervejaria, bateu um papo agradabilíssimo com o Coluna Blues Rock. Ele falou sobre o difícil início, o desejo de um lar próprio da marca e a mistura de elementos literários e receitas exóticas. "Todas as cervejas que produzimos são inspiradas em algum personagem de Alice no País das Maravilhas, também têm um paladar específico obtido pela combinação de sabores não-ortodoxos e estilos de cerveja que dão às nossas bebidas uma identidade única", explicou Chad.

    Em pouco tempo a Wonderland Brewery estabeleceu-se em um mercado cada vez mais competitivo e, aos poucos, recebe o devido reconhecimento. "Ano passado foi nossa primeira participação no Mondial de la Bière Rio e já ganhamos Medalha de Ouro pela Gone Mad IPA. Este ano, ganhamos a Medalha de Platina, como a melhor cerveja do festival, com a Timeless Porter", registou o norte-americano. 

        

 

Ugo Medeiros – O conceito da cervejaria é inspirado na obra Alice no País das Maravilhas. Poderia falar um pouco do porquê desta escolha? Foi algo bem estudado, digo, influência literária, ou foi mais pela estética?

 

Chad Lewis - A Wonderland Brewery é muito um produto da minha própria filosofia: rejeite a conformidade e faça o seu próprio estilo de vida. Muitas pessoas me dizem como viver (ou não) minha vida. O que elas não entendem é que eu não preciso aceitar como a sociedade me diz para viver. Alice no País das Maravilhas é a história de uma menina certinha que se depara com um novo mundo, aprende que este mundo não aceita as regras dela e se transforma com isso.

 

UM – Vejo os rótulos e me vem à cabeça o rock psicodélico. O Jefferson Airplane, banda americana dos anos 60, tinha uma música chamada White Rabbit. Acho tudo a ver com a cervejaria. A cervejaria ou os donos também têm essa pegada roqueira?

 

CL - Tanto o Pedro [Fraga], que fundou a Wonderland Brewery comigo e com a Anna [Lewis], quanto eu crescemos no rock, ele mais no heavy metal. Então o rock definitivamente tem a sua marca na Wonderland Brewery.

 

UM – Vocês têm diversos rótulos/tipos. Poderia falar sobre cada um deles?

 

CL - Claro. Nossa assinatura, “Sede de Personalidade”, também é nossa filosofia operacional. Fazemos nossas cervejas com personalidade – literal e metaforicamente. Todas as cervejas que produzimos são inspiradas em algum personagem de Alice no País das Maravilhas, também têm um paladar específico obtido pela combinação de sabores não-ortodoxos e estilos de cerveja que dão às nossas bebidas uma identidade única. Por exemplo, o lançamento da Wonderland foi com uma IPA de pêssego e damasco (Curiouser and Curiouser, que tem a Alice como personagem) e com uma porter com caramelo e lactose com (Timeless Porter, com o Coelho Branco).

 

UM – Há alguns anos cerveja no Brasil era algo restrito àquelas coisas horrorosas da grande mídia. Veio um boom das artesanais. Como foi o início da Wonderland?

 

CL - Concordo totalmente, mudamos rapidamente de cervejas inofensivas e sem sabor para cervejas com personalidade. Eu acredito no potencial dos consumidores ao provar um produto de qualidade, logo sentem esse diferencial. Mesmo com todo o marketing das grandes cervejarias, a cerveja artesanal no mercado brasileiro é um caminho inevitável e sem volta. Vimos isso nos Estados Unidos, e veremos o mesmo aqui. Em relação à Wonderland Brewery, o começo foi difícil. Eu sou norte-americano, então houve diferenças culturais e do próprio idioma. Além disso, o mercado está ficando cada vez mais competitivo, com mais marcas e cervejas melhores. Então, nossos primeiros passos foram difíceis. Hoje, muitas pessoas procuram por nossas cervejas, entram em contato para saber onde encontrar.

 

UM – Seguindo a linha da última pergunta, hoje há muita concorrência nesse ramo das artesanais. Como manter um público fiel à marca diante tantas outras?

 

CL - Branding e marketing sem dúvida ajudam, mas eu realmente acho que a qualidade da cerveja é o que pesa mais. Não tem muito como fugir nesse aspecto: ou você tem qualidade ou não tem. A filosofia que dá base para a marca, “Sede de Personalidade”, também fala muito aos consumidores que buscam algo mais inspirador do que apenas mais uma cerveja, aquelas de sempre.

 

UM – Apesar de ser relativamente recente a Wonderland já recebeu bastante prêmio, né?

 

CL - Todo o trabalho que dedicamos à Wonderland Brewery está começando a dar frutos. Passei muitos dias fermentando as receitas na chuva (e até na neve, antes de chegar ao Brasil). Em relação aos prêmios, devo admitir que foi uma surpresa até para nós, não esperávamos tantos prêmios tão rapidamente. Ano passado foi nossa primeira participação no Mondial de la Bière Rio e já ganhamos Medalha de Ouro pela Gone Mad IPA. Este ano, ganhamos a Medalha de Platina, como a melhor cerveja do festival, com a Timeless Porter.

 

UM – Vocês pensam em abrir um lar exclusivo da Wonderland? Já fico pensando no espaço todo estilizado, uma onda psicodélica... Seria incrível!

 

CL - Concordo totalmente com você. Espero fazer isso em breve, e você será nosso convidado para conhecer!

 

UM – Aos interessados em experimentar a Wonderland, onde encontrar aqui no Rio de Janeiro?

 

CL - Nossas cervejas podem ser encontradas em diversos pontos da cidade em supermercados, bares, restaurantes e hotéis. Semanalmente, colocamos no Instagram uma lista atualizada com os lugares que têm nossas cervejas.

 

UM – O Coluna Blues Rock sempre organiza festas de rock & blues, espero que na próxima a Wonderland esteja junta como parceira! Afinal, cerveja boa combina demais com música de qualidade!

 

CL - Será ótimo! Vamos fazer isso!

 

 

Site Wonderland Brewery

 

Facebook 

Instagram

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

anuncie aqui

Destaques:
Please reload

 procurar por TAGS: 
66185439_3317518094955530_69382078520623