© 2017 Coluna Blues Rock

Brasil

  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Entrevista Peter Rowan

14.10.2019

   Peter Rowan é uma daquelas lendas da música americana ainda vivas. Respeitado por músicos e críticos, aclamado pelo público, Peter encarna o arquétipo norte-americano e é referência absoluta no bluegrass e na country music. O músico domina com naturalidade os estilos mais tradicionais, mas nem por isso isola-se em uma ilha sonora. Apaixonado pela música, é influenciado por diferentes estilos, os mistura e sintetiza em um som único e com identidade própria. Bom exemplo é o disco My Aloha! (2017), que  estabelece uma ponte entre o bluegrass e a música havaiana. "Ouvia música havaiana no rádio quando era criança e meu tio Jimmie me ensinou ukelele e algumas músicas. Casei com uma mulher de família havaiana e sempre achei a coisa do "aloha" de amor e aceitação como uma promessa de paz neste mundo. É uma tradição profunda e compartilha raízes com o bluegrass!", comentou.

    Entretanto, apesar de ser comumente associado a estilos mais antigos, que em alguns casos remetem à virada dos séculos XIX/XX, poucos sabem que ele entrou na música através do rockabilly, formou uma banda com Jerry Garcia e ainda participou de uma banda que abriu shows para o The Doors! "Earth Opera era um estilo de humor mais lento durante a guerra do Vietnã. Nos anos 1960, fizemos muitos shows com o The Doors, conheci o Jim Morrison. Ele era um grande showman", explicou Peter.

    Peter Rowan simboliza o que restou de um espírito rural humilde em que a música era um elemento inerente ao cotidiano familiar. Pesquisar e escutar sua obra é um convite para visitar, ainda que de forma lúdica, um país que infelizmente não mais existe.    

 

Ugo Medeiros – A sua primeira banda foi de rockabilly? Você entrou na música através do rockabilly?

 

Peter Rowan - A minha primeira banda era formada por três guitarras, piano e bateria, nós tocávamos canções de Buddy Holly & the Crickets, Richie Valens, e algumas canções naquele estilo que eu escrevi. Tínhamos harmonias vocais em três partes e tocávamos danças locais, chamadas sock hops em que as garotas tiravam os sapatos e dançavam com as meias brancas. Eu tinha catorze anos quando comecei a tocar danças em cidades locais. Antes disso eu dançava aquela música antiga de fiddle e banjo chamada square dances, quatro pessoas em um quadrado.

 

UM – O que veio primeiro na sua vida, o blues ou o folk? Eu pesquiso a música norte-americana, gosto de estudar suas raízes. O blues rural (delta) e o folk tradicional são estilos musicais similares?

 

PR - A maioria das famílias cantavam canções folk, eram chamadas de camp-fire songs em que as pessoas cantavam em torno da fogueira quando dormiam na floresta, acampando. Só aprendi o blues quando alguém me deu um disco do Lightning Hopkins. Aí eu entendi de aonde veio o rock'n'roll do Chuck Berry. Eu gostava bastante de blues e comecei a aprender, "gastando tempo" com Sonny Terry & Brownie McGee. Um bluesman, Josh White, me ajudou, ele foi o primeiro com quem tive contato.

 

UM – Você também toca yodeling. Podemos dizer que o yodeling foi o primeiro tipo de country music nos EUA? Jimmie Rodgers foi uma grande influência na sua formação musical?

 

PR - Eu aprendi yodeling a partir das canções de cowboy, e também por Jimmie Rodgers e Bill Monroe. Eu gostava do som e praticava ao ar livre, onde eu podia ouvir minha voz ecoar nas rochas e nas árvores.

 

UM – Você é um grande banjoísta e chegou a tocar na banda do Bill Monroe! Como foi a experiência? Poderia falar sobre o legado do Bill Monroe? 

 

PR - Na verdade, toco violão. Bill Monroe trouxe banjo, fiddle, mandolin e baixo, junto com o dueto, trio e quarteto, para criar um estilo de folk e blues das montanhas, o Bluegrass. Eu já tinha cantado em corais, então o canto em bluegrass era muito emocionante para mim. Tocamos no Grand Old Opry e fizemos uma turnê pelo sul dos Estados Unidos e por shows em faculdades.

 

UM – Você também tocou na Earth Opera, uma banda psicodélica dos anos 1960. Como foi misturar todo aquele estilo lisérgico com sonoridades tradicionais? Você chegou a conhecer o Jim Morrison?

 

PR - Earth Opera era um estilo de humor mais lento durante a guerra do Vietnã. Nos anos 1960, fizemos muitos shows com o The Doors, conheci o Jim Morrison. Ele era um grande showman.

 

UM – O meu site tem um papel didático no Brasil. Eu gosto de explicar a música americana aos  que não conhecem tão bem. O bluegrass é um tipo de country music? Qual a diferença entre o country clássico e o bluegrass?

 

PR - Ambos os estilos compartilham “raízes” comuns. O bluegrass em seu estilo mais puro é fiddle acústico, banjo, bandolim e baixo. Também uma guitarra de slide chamada Dobro, com um ressonator de metal. O Country "tradicional" apresenta fiddle, violões e guitarras, steel-slide guitar e bateria.

 

UM – Falando em bluegrass, você também tocou com o Jerry Garcia em uma banda de bluegrass, Old & in the Way. Você sempre teve amizade com os roqueiros? Poderia falar sobre a banda?

 

PR - Jerry Garcia era uma pessoa única que não tinha limites musicais. O banjo foi seu primeiro instrumento e ele adorava tocar bluegrass. O músico de fiddle [N.E: fiddler] Vassar Clemens se juntou a David Grisman e eu, junto com o baixista John Kahn (Jerry Garcia Band) e Jerry Garcia para nos tornarmos Old and in the Way.

 

UM – O seu disco High Lonesome Cowboy  é lindo! Traz folk, country e bastante do espírito rural... Poderia falar sobre o álbum?

 

PR - Fiz em colaboração com o cantor-cowbow Don Edwards. Quando eu era criança escutava meus tios cantarem canções de cowboy.

 

UM – E o disco Reggaebilly? Como nasceu a ideia?

 

PR - Sempre gostei de música caribenha e é divertido tocar reggae. Eu sempre aprendo muito com músicos de reggae. A América, tanto Norte como Sul, é tão rica em cultura musical. Eu sempre gostei do guitarrista e cantor/compositor Carlos Joaquim (?) e outros do Caribe e da América do Sul.

 

UM – Você ama essa coisa de misturar estilos musicais, certo? Senhor, tenho que admitir, My Aloha! é um dos meus favoritos! Poderia falar sobre o álbum?

 

PR - Ouvia música havaiana no rádio quando era criança e meu tio Jimmie me ensinou ukelele e algumas músicas. Casei com uma mulher de família havaiana e sempre achei a coisa do "aloha" de amor e aceitação como uma promessa de paz neste mundo. É uma tradição profunda e compartilha raízes com o bluegrass!

 

UM – Qual o estilo musical que melhor representa o Tennessee? E quanto ao Kentucky?

 

PR - Bluegrass!

 

UM – Você poderia falar sobre o seu último disco Carter Stanley's Eyes?

 

PR - Os Stanley Brothers e Bill Monroe sempre me inspiraram com seus sons "terrenos"/seculares e canções de anseio espiritual. Eu queria gravar minha própria jornada espiritual nessas músicas.

 

 

 

 

 

 

 

ENGLISH VERSION:

 

 

Ugo Medeiros – Was rockabilly you first band? Was your introduction to music through Rockabilly?

 

Peter Rowan - My first band was three guitars, piano and drums. We played songs of Buddy Holly and the Crickets, Richie Valens, and I wrote some songs in that style. We had three part vocal harmonies and played local dances, called “ sock hops” where the girls took off their shoes and danced in their white socks. I was fourteen when I began to play dances in local towns. Before that I danced to old-time fiddle and banjo music called “ square dances”. Four couple in a square.

 

UM – What came it first in your life, the blues or the folk? I’m a US musical  researcher, I like to study all the US roots music. Are the rural Blues (delta) and the traditional folk similar musical styles?

 

PR - Mostly family singing of folksongs, what are called “camp-fire” songs that people would sing around fire when sleeping in the forest, camping out. I only learned of the blues when someone gave me a Lightning Hopkins recording. Then I understood where Chuck Berry’s rock and roll music came from. I liked the blues very much and began to learn to play, spending time with Sonny Terry and Brownie McGee. A bluesman, Josh White helped me, the first bluesman I sat down with

 

UM – You also played yodeling. Can we say yodeling was the first type of US country music? Was Jimmie Rodgers a major influence on your musical background?

 

PR - I learned yodeling from cowboy songs. And the Jimmie Rodgers and Bill Monroe. I liked the sound and would practice out of doors where I could here my voice echoe off of rocks and trees.

 

UM – You’re a great banjo player and you played in Bill Monroe’s band! How was the experience? Could you talk about Monroe’s experience and legacy?

 

PR - I am actually a guitar player. Bill Monroe brought banjo, fiddle, mandolin and bass, together with duet, trio and quartet singing , to create a style of mountain folk  and blues music, bluegrass. I had already sung in choirs so the singing in bluegrass was very exciting for me. We played on the Grand Old Opry and toured on the road through the South of the United States and the played college concerts.

 

UM – You also played with Earth Opera, a psychedelic band in the 60’s. How was to mix all that lisergic style with traditional sounds? At that time, did you meet Jim Morrison’s The Doors?

 

PR - Earth Opera was a slowed down style of moodiness during the Vietnam war Years of the 1960s we played many shows with the doors, I met Jim Morrison. He was a great showman.

 

UM – My site has a didacitc musical role in Brazil. I like to explain the US music to those who don’t know about. Is it bluegrass a kind of country music? What is the difference between the classical country and the bluegrass?

 

PR - Both styles share common “roots”. Bluegrass in its purest style is acoustic fiddle, banjo, mandolin and bass. Also a slide guitar called a Dobro, with a metal resonator. "Traditional Country” features fiddles, eclectic and acoustic guitars, electric steel-slide guitar and drums usually.

 

UM – Speaking about bluegrass, you also played with Jerry Garcia in a bluegrass band, Old & In the Way. Did you Always have a good friendship with rockers? Could you talk about the band?

 

PR - Jerry Garcia was an unusual person who had no musical boundaries. Banjo was his first instrument and he loved to play bluegrass. Fiddler Vassar Clemens joined with David Grisman and I with bassist John Kahn (Jerry Garcia Band) and Jerry Garcia to become Old and in the Way.

 

UM – Your “High Lonesome Cowboy” is a beautiful álbum! It brings folk, country and a lot of rural feeling... Could you talk about the álbum?

 

PR - I collaborated with cowboy-singer Don Edwards to record those cowboy songs I had heard my Uncles sing when I was a child.

 

UM – And what about “Reggaebilly”? How was this reggae idea born?

 

PR - I’ve always loved Caribbean music and reggae is fun to play. I always learn so much from reggae musicians The Hemisphere of N orth and South America is so rich with musical culture. I have always enjoyed guitarist, singer/songwriter Carlos Joaquim (?) and others from both the Caribbean and South America.

 

UM – You love this thing of mixing music styles, right? Sir, I have to admit, “My Aloha!” is one of my favorite! Could you talk about the álbum?

 

PR - I heard Hawaiian Music on the radio ad a child and my Uncle Jummie taught me ukelele and some songs. I married into a HawaiiN family and have always found the “ Aloha” feeling of love and acceptance to be a promise of peace in this world. It’s a deep tradition and shares roots with Bluegrass!

 

UM – Which music style representes the most Tennessee? And what about Kentucky?

 

PR - Bluegrass!

 

UM – Could you talk about your last álbum, “Carter Stanley’s Eyes”?

 

PR - The Stanley Brothers and Bill Monroe have always inspired me with their earthy sounds and songs of spiritual longing. I wanted to make a recording of my own spiritual journey in that music.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

anuncie aqui

Destaques:
Please reload

 procurar por TAGS: 
66185439_3317518094955530_69382078520623